sábado, 11 de setembro de 2010

Lei Áurea (Regente dos Astros)















Lei Áurea (Regente dos Astros)



Lambe o sol minha retina espessa
e todo o claro que dormita o escuro
devaneia aos vagos.

Devasso!
Nada fere tanto
a negra face do cansaço:
        Ladrando ao quintal;

Lambe o sol..

Demente aurora,
         o tisco do punhal...

Oh, Vidas oscilantes!

Tudo se deflora
ao mesmo tempo em que se aflora.
 
A ta
ça com tristeza
é a que transborda de alegria;

Os lábios que apedrejam
poetizam, cariciam.

Oh prisão de ciclos,
vassalos dos astros!

Qual mão rebelde em risco
quebrantará o aço co`a tenaz da nova pena,

a Lei-da-Áurea-Boreal?

Pois tudo que vagueia espaço
retraindo, contraindo,
atraindo, distraindo...

São como alabastros
do reger transcendental.


CharleSanctus



...

3 comentários:

  1. Estava com saudade dos seus textos.
    Como foi maravilhoso pousar aqui.
    Como estás?

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Muito bom seu trampo... gostei mesmo,
    as imagens das poesias são pinturas..
    parabéns pelo seu trabalho.

    Flávio Mello

    ResponderExcluir
  3. Olá sou Magno Oliveira responsável pelo Blog Folhetim Cultural, convido lhe hoje a conhecer o nosso blog, que tem além de notícias, tem também atrações culturais. Como poesia, contos, crônicas e muito mais...
    Conto com sua visita no nosso espaço.

    Blog: informativofolhetimcultural.blogpost.com
    E-mail: folhetimcultural@hotmail.com
    Twitter: @folhetimcultura e @oliveirasmagno

    ResponderExcluir