quinta-feira, 6 de agosto de 2009

O Perfume da Partida (Para Sara)





Se o tempo arranca as pétalas da idade
aos beijos embalados na garoa;
Consagra também, rosas na coroa
acima da poetiza em beldade.

A luz consome a vela em claridade
e o estro iluminado à fronte voa...
A cera lacrimosa se amontoa
ao corpo lapidado de saudade.

Ao tempo tudo escorre à toda sorte
e a vida marcha em frente alheia às dores;
O fim ressoa sempre assim mais forte!

Embora os orvalhados campos, flores
tão mesmo ante o crepúsculo da morte,
exalam seus perfumes entre as cores.


Charles Sanctus

2 comentários:

  1. eu amei, claaaro. :)
    já sou seguidora tbm, tu sabes.
    esse poema ficou lindo, Charles... ow, presente maravilhoso!!!
    =***

    ResponderExcluir